O Mestre e o Gafanhoto (a parábola das merdas)

Certa feita, um curioso viajante
Tendo notícia da fama do erudito Lokprakash¹
-Cujo renome já se espraiava
Desde o sopé do Himalaia
Aos confins de Bangladesh-
Foi ter com o ancião.

Pouco antes do encontro
Quis a sorte do viajor
Foder Feder com a ocasião
E o lustroso sapato Dior
Pisou luzidia merda no chão
Impregnando-se em raro fedor

Ora, o elegante visitante
Quedou-se triste e vexado
Pois caprichara na toalete
Com perfume almiscarado
Mas vendo chegar o indiano
Gaguejou embaraçado:

Oh, sa-sábio mestre Vatsala
Perdoe-me os modos
Digo, Sua Santidade,
Lokprakash Vatsala
Não quero causar incômodo
Mas quis a eventualidade…

Disse isso tudo o forasteiro
Mostrando o próprio sapato
E o descalço guru, bem ligeiro
Meteu-lhe na cara um sopapo:
– Ingrato! Não vês que é auspicioso
Pisar assim, em um grande merdeiro?

Pois saiba de agora em diante
Que só não pisa na merda aquele
Que anda sempre cabisbaixo
– Mas mestre. – Retorquiu o visitante
Não sei ao certo se nisso me encaixo
Veja bem, que a bosta era grande!

– Quanto maior a bosta, maior a sorte.
Pois o homem que não a enxerga
Certamente está de cabeça erguida:
Possui metas, é sábio e forte
E não se envergonha da vida vivida.
Por isso digo: mais merda, mais sorte.

– Então sendo assim… E se fosse um cocô de vaca?
– Vaca sagrada, sorte multiplicada.
– Se fosse então, cocô de elefante?
– Cocô muito grande, sorte gigante.
– Entendi. Quanto mais cabeça erguida…
– Sim. Desde que seja o seu natural.

– Mas mestre, por favor me diga:
E se por acaso, um pombo acertar
Seus dejetos em minha cabeça?
– É sorte! – respondeu com veemência.
Apesar de que talvez seja
Incômodo de se limpar.

– Ok. Mas há erro na teoria
Pois se há auspício na altivez
E quanto mais alta a cabeça, melhor,
Talvez um pombo acertaria
Não a cabeça, mas os olhos do freguês!
E não vejo sorte em ter os olhos cagados.

Lokprakash cerrou os olhos e, após um longo suspiro, concluiu:
– Aprenda de uma vez, pequeno gafanhoto,
Que o sábio mantém a cabeça erguida
Mas nunca de forma exagerada
Pois sabe que assim age o tolo
Que de tanto a erguer não enxerga a estrada.

                               ***

¹Lokprakash Vatsala é um personagem que aparece em 4 poemas do livro “O Busto de Adão e Outras Poesias” (págs 31/33 e 49/54). Dado à incomensurável sabedoria e carisma do ancião indiano, achei justo dar vazão a novos poemas onde ele possa doutrinar.

mestre.jpg

Lokprakash Vatsala em “O Mestre e o Peregrino” (O Busto de Adão e Outras Poesias, pág. 40) Ilustração de Arthur F. Pádua.

 

 

Blues e Poesia na 16ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto

Sábado, dia 18, participarei novamente da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto. Nessa edição, representarei minha cidade ao lado dos Acadêmicos da APC, na qualidade de Membro Honorário. Em nossa mesa, pretendo contar um pouco da história do blues e como esse gênero musical influenciou não só minha música, mas também minha escrita. Alguns poemas d’O Busto de Adão serão recitados, sublinhados e/ou intercalados por clássicos do blues de Robert Johnson (sim, vou levar um violão para a Feira do Livro!). Ah, atualizei a AGENDA, mas fiquem de olho, semana que vem tem mais novidades musicais!

Clique no link abaixo para acessar a programação completa do evento!

WP_20160614_09_23_24_Pro

Abraços, e até lá!

Livraria da Travessa – Ribeirão Preto

Ontem tive a honra de apresentar meu livro (e autografar os exemplares vendidos) na Livraria da Travessa de Ribeirão Preto/SP, que fica no Ribeirão Shopping.

A loja é linda, fui super bem recebido pela simpática equipe da livraria. No vídeo abaixo, você pode conferir alguns momentos (registro de celular):

Semana que vem, estarei na cidade de Monte Santo de Minas, em breve venho com mais informações!

>>PEÇA JÁ O SEU EXEMPLAR!<<<

InstagramCapture_50365bd6-ba90-481d-bc64-62a473ea50ef

Abraços, e até breve!

Feedback

Boa tarde pessoal!

O livro “O Busto de Adão e Outras Poesias” foi mais uma vez elogiado por um blog literário!

Dessa vez, quem leu, gostou e recomendou foi a gaúcha Karol Kaufmann. Confira clicando abaixo:

Sem título

Ah, o livro está a venda Para qualquer canto do mundo (clique aqui)

E a Livraria da Travessa também distribui para todo Brasil (clique aqui)

Abraços a todos, e obrigado!

2ª Apresentação na Feira do Livro

Ontem, dia 20/06, tive a honra de participar pela segunda vez da 15ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto. Os resultados não poderiam ser melhores: assim como aconteceu no dia 14, vendi todos exemplares que disponibilizei ao evento. Aliás, restou um único exemplar d’O Busto de Adão e Outras Poesias, que será encaminhado pela FUNPEC a alguma biblioteca da cidade.

IMG_4760Outro fato que me deixou muito feliz, além da receptividade que minha poesia encontrou em Ribeirão Preto, foi de saber que, durante a semana, outras pessoas adquiriram meu livro sem que eu estivesse por lá a apresentá-lo. Mas o que mais me emocionou foi descobrir posteriormente que uma das compras foi realizada por um colégio! Receber a aprovação de profissionais do ensino é para mim um grande prêmio, e ter meus poemas na biblioteca de um colégio é muito gratificante (e traz grandes responsabilidades).

Quero agradecer mais uma vez a Chiado Editora e a Livraria da Travessa pela parceria, sobretudo por acreditarem na beleza da poesia (a bom preço e ainda parcelado! rsrsrsrs).

Ah, quem quiser conhecer um pouco mais sobre o livro, basta CLICAR AQUI.

Já leu o livro e tem perfil no SKOOB? Adicione à sua biblioteca e deixe uma avaliação!1525646_10151771258050841_1931263610_n

Desejo um bom domingo a todos!

Abraços poéticos,

Bruno Félix.