Soneto Místico

maxresdefaultMergulha na luz que vem do Oriente
Emerge na terra que te produziu
Flutua na água, domina a corrente
Reflete no fogo a centelha anil

Encontra a magia que anima o ser
Lapida essa pedra, tal nobre artesão
Deita-te em núpcias, sagrado prazer
Revive em carne, amor, comunhão

Dentro do espelho há mais que um portal
Servindo ao mundo descobrirás
O domínio da vida através do amor

E verás que a Cruz não é só do Senhor
Saberás da balança, do bem e do mal
E no teu coração abrirá uma flor

Pela janela

ovni

A gente cresce
E aprende a ver o mundo
Pela janela de um trem
(As coisas vão ficando pequenas
Conforme nos afastamos)

Alguns poemas vão deixando de rimar
Algumas pessoas seguem ao nosso lado
Mas apenas algumas
Olhando a paisagem diminuir pela mesma janela
Dividindo o mesmo olhar
Vendo a maioria que fica no chão

Enquanto meu disco voador não chega
Habituei-me a ver
Essa grande maioria
Pela janela de um avião

Concurso de Contos em Salamanca, Espanha: Publicação e certificado.

Algumas semanas atrás eu estive aqui comunicando o resultando do primeiro concurso de relatos breves Cuéntame un Cuento, promovido pelo Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca, Espanha.

Na ocasião, fiquei muito feliz em saber que meu conto “O mandado de prisão” foi selecionado como primeiro finalista (LINK). Não bastasse essa alegria, fui surpreendido essa semana com um belo certificado e com o contrato de edição, o que marca minha estréia no gênero de contos: a antologia será publicada em e-Book, e o contrato já está entregue devidamente assinado!

Assim que o livro ficar pronto, prometo trazer o link para que todos possam ler!

Abraços, com meus votos de paz, equilíbrio e literatura sempre!

Bruno Félix.

WP_20170720_001WP_20170718_001

O Silêncio da Espera

Em frente ao hospital
Um homem são espera em seu carro
Protegido do sol pelos vidros escuros
E pela barba bem aparada
Do clima, pelo ar condicionado
Do silencioso caos da cidade
Por um poema que Tom Waits canta
Em seu moderno sistema de som
No fundo ele agoniza
Enquanto escolhe
Uma caixa de vinhos por um aplicativo
Após ler as últimas notícias
Enquanto espera
Enquanto Armani o estrangula
Com a fina seda de sua gravata
E o homem continua esperando
Consciente de que tudo o que pode fazer
É esperar

Na praça ao lado
Ninguém sabe de sua dor
Nem mesmo o outro homem
Que acordou e viu um carro parado
Esperando
Enquanto ele mesmo espera por algum trocado
Protegido do sol
Pelo frio concreto do banco
E pela barba negra que nunca apara
Do clima, pelo caderno de notícias
Do caos da cidade, pelo silêncio da embriaguez total
Que lhe canta poemas em outras línguas
Enquanto a vida lhe estrangula
Com os trapos que lhe são doados
Enquanto ele espera se encontrar
Consciente de que todas as suas dores
Só hão de doer em si mesmo
Posto que ninguém o espera
E não há ninguém para ele esperar.

 

“Cuéntame un cuento”

Muito feliz! Saiu o resultado do I Concurso de relato breve do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca, Espanha, que recebeu cerca de 600 contos de escritores de dez países diferentes: O meu conto “O mandado de prisão” foi o primeiro finalista! Agora é só aguardar a publicação dos textos para partilhar aqui com vocês!

Clique na imagem abaixo para acessar o resultado do concurso no site do Centro de Estudios Brasileños:

Logo-concurso-de-cuentos

Lançamentos agendados!

A Menina e o Equilibrista, meu segundo livro, já tem as datas de lançamento definidas: Dia 19/04, no Unico Lounge Bar em São Sebastião do Paraíso/MG, o lugar mais aconchegante da cidade, ideal para falarmos de coisas amenas como literatura e cheiro de livro novo!

Clicando na imagem abaixo, você será redirecionado para a página do evento, onde constam todas as informações!17390599_270165403440688_1327815085610414834_o.jpg

Na sequência, seguirei para Poços de Caldas, dia 06/05, onde o livro também será apresentado e autografado durante um dos maiores e mais importantes festivais literários do país: o FLIPOÇOS (clique na imagem para visitar o site oficial e conhecer toda a programação, que, como de praxe está incrível):

17798919_1323595027707931_660429760061613917_n.jpg

Nos vemos lá!

Abraços!