Soneto de devoção

3295693602_faf2a1b0da

 

 

 

 

 

O amor que te devoto
É quase sempre um desatino
Com pureza de garoto
E um fogo libertino

Tem tempero mexicano
E um toque clandestino
Maturado ano a ano
Fermentado em bom tanino

Tipo um predador que ronda
Tipo a fé de um palestino
Certo como mar e onda

Certo como o meu destino
Minha vida é uma milonga
Tu, meu tango argentino

 

Um pensamento sobre “Soneto de devoção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s