O minuto do orvalho

Ela dorme

Lá fora, os primeiros raios de sol

Tocam de leve as pétalas

Que a primeira brisa do dia

Balançou de maneira uniforme.

O orvalho brilhou e caiu

Sem que ninguém percebesse.

Ela dorme.

Enquanto meu peito amanhece

Como alguém que renasce

Ela cresce.

No ritmo das flores

Suas pálpebras são leves

E quando um raio de sol a toca

Ela acorda feito flor que floresce.

Não abrirei a janela.

Não agora.

Sairei pé ante pé

Por hora

Vou passar um café.

Enquanto ela dorme.

8 pensamentos sobre “O minuto do orvalho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s